segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Como lidar com finais?

Desde pequena sempre fui péssima em lidar com finais, sejam finais de mês, ano, semana, amizades, relacionamentos, histórias e até mesmo com os finais das coisas que escrevo. Acho que meu maior defeito é esse: não saber quando por um fim em algo. Sempre tento prolongar tudo, sempre insisto em colocar uma vírgula no lugar do ponto final. Sei que mais cedo ou mais tarde vou ter que usá-lo, é inevitável, mas evito o máximo que puder. Talvez por medo, ou quem sabe seja apenas por insegurança mesmo. Não sei. Só não consigo, sabe? Tenho um certo pavor de finais.
Veja só, faltam apenas duas semanas para o ano acabar e já estou me sentindo ansiosa. Não que eu queira ficar presa em 2015, longe disso, o problema é que sei que quando der meia-noite no dia 31 não vai ser apenas o ano que vai mudar, bastante coisa da minha rotina também irá mudar.
Será uma nova fase. Novas pessoas entraram na minha vida. Assim como também muitas pessoas de quem gosto iram sair, é inevitável. Talvez eu até mesmo me apaixone. Quem sabe eu não tenha uma linda festa de 18 anos. Ou talvez eu passe meu aniversário isolada assistindo a séries na Netflix. Está vendo? Um fim traz tantas possibilidades, e isso me amedronta. O depois me dá medo.
Tenho essa péssima mania de ficar imaginando o futuro, fico idealizando e organizando tudo. Crio roteiros, monto cenas e no final quase sempre me decepciono.
Com isso acabei me tornando uma pessoa medrosa. Tenho medo do futuro. Tenho medo do que me espera. Apesar da pose de durona, sou uma completa medrosa. Tenho medo até mesmo de coisas que sei que são inofensivas.
Não sou apenas medrosa, sou completamente sensível. Um exemplo disso é o modo como finais não só me assustam, como também me comovem. Já viu alguém sentir vontade de chorar em meio aos fogos de Ano Novo? Sempre tenho essa vontade. Porque é como se parte minha estivesse sendo deixada para trás, como se a partir daquele momento eu me tornasse uma nova pessoa.
É assim todo ano. Faço da virada de Ano Novo uma despedida de mim mesma. Coloco um ponto final e parto para a próxima fase. Confesso, me sinto até um pouco destemida. Mas depois vem o desespero, o arrependimento e o maldito ‘e se?’. E se meu antigo eu fosse uma pessoa melhor? E se com isso eu acabe perdendo todos que amo? E se não estava na hora de mudar? São tantas perguntas, que sinceramente, não sei como não fico louca.
Mas apesar de tudo, apesar de todo o medo e de toda insegurança, sempre sigo em frente. Sempre tento recomeçar da melhor maneira possível. Mas sempre com um pé atrás. Sempre tentando fazer o máximo para evitar outros finais, para que existam o número mínimo de adeus e despedidas.
Por diversas vezes tentei achar uma solução para esse meu medo, tentei encontrar um melhor método de criar finais sem que eu me arrependa depois. E devo dizer que não há muito o que se fazer. O único jeito de não se arrepender é não deixar nada para depois. E não tem jeito, é inevitável não rolar lágrimas no fim. É inevitável não se sentir despedaço ao se despedir de alguém que você gosta, ou ao abrir mão de quem você ama. Isso é ser humano. É sentir mesmo que não seja o melhor dos sentimentos. É saber que você ainda está vivo. E ter a certeza que aquilo não é apenas um final, é também um novo começo. Que muitas outras coisas estão por vir, que ainda há muito o que acontecer.
O medo é inevitável. Mas é preciso colocar um ponto final em algumas coisas. É preciso criar novos começos, novas histórias por mais difícil e complicado que possa ser. Sair da zona de conforto na maioria das vezes faz com que coisas surpreendentes possam acontecer.

10 comentários:

  1. Respostas
    1. Você por aqui? Sério? Não sabe como fico feliz com isso <3

      Excluir
  2. Amei seu blog.
    Te indiquei para uma TAG, se puder e quiser participar e dar continuidade dá uma olhadinha: http://www.meumundosecreto.com.br/2015/12/tags-liebster-awards_14.html

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado do meu cantinho! Em breve irei responder a TAG e lhe mando o link <3

      Excluir
  3. Eu sou tão ruim em lidar com finais que me privo nos começos. Me identifiquei total! Tava precisando mesmo desse texto ;)

    irianneveloso.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Amei post, finais realmente são um problema pra mim as vezes haha, adorei seu blog!

    Beijos!
    www.mathwillie.com

    ResponderExcluir
  5. Adorei o texto e blog Tata! Estou orgulhosa de você, você sempre escreveu muito bem e tem um talento natural pra isso. Espero que o blog continue a crescer mais. Beijos! <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mooomy, que saudades sua! Muito obrigada por tudo <3

      Excluir